Museu do Fado
siga-nos em:
Personalidades
 
Esmeralda Amoedo
( 19 Maio, 1936 )
Sentiu cedo a vocação para cantar, punha-se ao pé da telefonia a ouvir Fados e a cantar, mas a sua mãe, modista de profissão, não queria que ela cantasse. Contudo a vontade era maior, e incentivada pela vizinhança, Esmeralda recebeu um "xailinho" e todas as tardes animava as redondezas cantando alguns dos Fados que aprendia pela rádio.

Sentiu cedo a vocação para cantar, punha-se ao pé da telefonia a ouvir Fados e a cantar, mas a sua mãe, modista de profissão, não queria que ela cantasse. Contudo a vontade era maior, e incentivada pela vizinhança, Esmeralda recebeu um "xailinho" e todas as tardes animava as redondezas cantando alguns dos Fados que aprendia pela rádio. Um dia, o pai levou-a a uma festa na "Casa Apolo", uma sociedade recreativa, onde foi incentivada por dois guitarristas a cantar. Interpretou o "Fado Manuel Santos" e o "Fado Santa Luzia", dois dos muitos que sabia de cor, e desde então não mais parou.

Aos 14 anos era já uma amadora de renome, facto que a levou a concorrer e a ganhar um lugar nos Serões para Trabalhadores, na Emissora Nacional, depois de ultrapassadas algumas provas - de microfone e de gravação. Foi por esta altura que por sua iniciativa teve algumas de lições de canto com o Prof. Mota Pereira.

No seu percurso artístico Esmeralda Amoedo apresenta-se em praticamente todas as colectividades, sociedades recreativas e festas de beneficência de Lisboa e arredores e concorre a um concurso de Fados organizado pelo jornal "Ecos de Portugal".

Vence a primeira Grande Noite do Fado, organizada pela Casa da Imprensa, corria o ano de 1953, representando o bairro lisboeta de Campo de Ourique.

Colaborou no Grande Concurso de Fados em 1957, organizado pelo jornal "A Voz de Portugal".

Simultaneamente à ascensão de sua carreira, surge a oportunidade de cantar e percorrer todo o país, nomeadamente em Casinos. Estreia-se no Teatro ABC, com Ivone Silva e figurou nos principais palcos de teatro de revista, facto que vai conjugando com apresentações nas diversas casas de Fado de Lisboa e sociedades recreativas.

A primeira casa de Fado onde actua é no "Solar da Hermínia", na "Viela" e passa pela "Tágide" "Adega Machado", "Luso", "Adega Mesquita", "Toca", "Mal Cozinhado", e principais casinos do país, destacando-se o Casino da Madeira.

Uma das viagens da sua vida é a que levou ao Canadá, como artista convidada, para participar nas Festas do Senhor Santo Cristo. Outras viagens aconteceram, sendo de referir as deslocações a Austrália, Canadá, França, Bélgica, Holanda, Suiça, Alemanha.

Vence o "Microfone de Ouro" atribuído pelo Rádio Clube Português.

Comemora 50 anos de carreira em 2003, recebendo o Prémio Carreira, entregue no decorrer do Concurso da Grande Noite de Fado, no Teatro de São Luiz.

Em 2004 é lançado pela Metrosom o CD "Fado no S. Luiz" onde Esmeralda Amoedo revisita os seus maiores êxitos, como "Açores - nove lágrimas" letra de sua autoria.

Selecção de fontes de informação:

Museu do Fado - Entrevista realizada a 10 de Agosto de 2006.

Actualizado a 28 de Setembro/2007

stqqssd
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31            
em destaque...