Ao utilizar este site, concorda com o uso de cookies de acordo com a nossa Política de Cookies.

concordo

Camané

03 Fevereiro, 2011 a 22 Maio, 2011

img

O Museu do Fado inaugurou, a 2 de Fevereiro de 2011, uma exposição temporária alusiva ao percurso artístico de Camané.

Ao longo da exposição foi possível ouvir as primeiras gravações, conhecer a génese do culto fadista na sua tradição familiar, assistir a alguns dos momentos de mediatização no país e no circuito internacional, relembrar algumas das colaborações noutras áreas musicais e conhecer a fundo o repertório imaculado da sua discografia.

A Voz de Camané vem de muito longe, desde os tempos em que nos discos dos pais, descobriu as vozes de Amália, Lucília do Carmo, Beatriz da Conceição, Fernando Maurício e Carlos do Carmo. Na sua tradição familiar rastreia-se o fado até aos alvores do século XX período no qual o seu bisavô, José Júlio da Silva Paiva, testemunhou e protagonizou alguns dos mais marcantes momentos de consagração do fado. O fado de Camané é um dom antigo, burilado e aprimorado no tempo, noites a fio, numa aprendizagem diária. Até hoje.

 

Foto: José Frade | Museu do Fado

Foto: José Frade | Museu do Fado

Foto: José Frade | Museu do Fado

Foto: José Frade | Museu do Fado

Foto: José Frade | Museu do Fado

Foto: José Frade | Museu do Fado

Foto: José Frade | Museu do Fado

Foto: José Frade | Museu do Fado

Foto: José Frade | Museu do Fado

Foto: José Frade | Museu do Fado

Foto: José Frade | Museu do Fado

Foto: José Frade | Museu do Fado

Foto: José Frade | Museu do Fado

Foto: José Frade | Museu do Fado