Ao utilizar este site, concorda com o uso de cookies de acordo com a nossa Política de Cookies.

concordo

Conheça melhor:

Dâna

(21 Junho, 1980)

Sónia Mota nasceu em Junho de 1980. Adoptou um nome que lhe diz muito, Dâna, ou seja “Dom da Partilha”. Adoptou-o como forma de agradecer a capacidade de cantar e poder partilhar com os outros.

Dâna cresceu no meio da cultura popular, herdando do seu avô, Sebastião Mateus Arenque, poeta popular, escritor e mentor da cultura tradicional na região da Azambuja, um gosto nato pelas tradições e cultura portuguesas.

Em 2001 participou com a música “No tom das cores“ (de autoria de Américo Faria), no Festival RTP da Canção, e obteve o 3ª lugar da classificação. O sucesso desta apresentação marcou o início da sua carreira profissional dedicada à música.

Dois anos mais tarde lançou o seu primeiro trabalho discográfico a solo. O CD “Cantar Português“ regista temas de fusão entre a música tradicional portuguesa, o fado e a electrónica. Este disco foi editado no Japão, no leste e norte da Europa.

O seu primeiro disco inteiramente dedicado ao fado, “Sei Finalmente“, foi editado pela Espacial, em 2007, mostrando “a expressão de uma fadista em ascenção“.

Nos 11 temas que integram o álbum, Dâna percorre alguns temas de Amália Rodrigues, como “Troca de olhares” (João Linhares Barbosa – Martinho d’Assunção), “Abandono” (David Mourão-Ferreira – Alain Oulman), “As mãos que trago” (Cecília Meireles – Alain Oulman) ou “Erros Meus” (Luís Vaz de Camões – Alain Oulman), revelando a sua própria forma de abordagem ao fado: “Sentimento, saudade, identidade, paixão e compaixão. Este é o meu fado e é através destas palavras que sou fadista”.

Em 2009, Dâna volta a registar em disco um conjunto de 12 temas. Neste seu terceiro CD a solo, de título “Fado que te amo”, a fadista é novamente acompanhada pela guitarra de João Chitas e pela viola de José Simões. No press release do disco revela-se que: “depois de um ano de palcos e públicos percorridos, de encontros e desencontros, de conversas trocadas com amantes e conhecedores de fado, o caminho para um repertório, para um novo albúm, foi fácil de encontrar. Entre o fado cravo, o fado das horas, o fado menor, o fado alexandrino, entre outros fados tradicionais, passando por nomes como Max, Alfredo Marceneiro, Frederico Valério, encontramos pelo meio de alguma história do fado, palavras em forma de letras de Dâna e Vasco Lima (produtor)”.

Em Julho de 2009 Dâna apresentou-se pela primeira vez no VII Festival de Fados de Castela e Leão, que decorreu em Zamora.

 

Fonte:

Biografia entregue ao Museu do Fado pela fadista;

http://de.netlog.com/Danafado

http://www.myspace.com/Danaagencia

http://Danafado.blogspot.com/

http://pt-pt.facebook.com/pages/DANA/85342061893

Dâna Albergaria 2009

Dâna Albergaria Lançamento do CD "Fado que te amo" Museu do Fado, 17 de Setembro de 2009

Dâna Albergaria Lançamento do CD "Fado que te amo" Museu do Fado, 17 de Setembro de 2009

  • Fado Alexandrino Dâna (Alfredo Duarte / Fado Alexandrino)