Ao utilizar este site, concorda com o uso de cookies de acordo com a nossa Política de Cookies.

concordo

Conheça melhor:

Vânia Duarte

(13 outubro, 1984)

Nascida em Benavente, em 1984, Vânia Duarte deu os seus primeiros passos enquanto fadista aos 12 anos, ao lado do músico Carlos Garcia e da fadista Eulália Duarte.

A música, e o Fado em particular, estiveram desde sempre presentes na sua vida e, em 2001, participou no concurso “O Fado mora na Feira”, na Feira Popular de Lisboa. A sua vontade de conhecer e aprender mais sobre as artes do espectáculo levaram-na a fazer vários cursos e workshops de teatro, bem como a aprender música na Escola de Música de Santarém.

O salto para os holofotes da televisão deu-se em 2003, quando foi seleccionada para a Operação Triunfo II, da RTP, entre mais de 30.000 concorrentes. Neste programa, pôde frequentar a escola de música, apresentando-se ao vivo nas diferentes galas em directo e participou nas diferentes tournées do programa.

Dois anos depois, ingressou na Escola de jazz do Hot Club, em Lisboa. A vida boémia da cidade de Lisboa, assim como a sua vontade de percorrer os circuitos fadistas da cidade, levou-a a conhecer algumas Casas de Fado como o Sr. Vinho, o Clube de Fado e o Marquês da Sé.

Em 2006, fez parte de um espectáculo de fado no “Espaço 7 às 9” no CCB e, em 2008, licenciou-se em Animação Sociocultural.

2011 marcou a estreia discográfica de Vânia. “Efeito de Fado” contou com a produção do músico Custódio Castelo. Este disco, para além de fados originais, conta ainda com o tema “Lenda das Algas” em dueto com Celeste Rodrigues.

Desde 2004 que Vânia se fixou na Casa de Linhares. Começou por fazer parte do seu elenco de fadistas e, Mais recentemente, Vânia passou a co-proprietária deste espaço tão mítico da cidade de Lisboa.

A vida de Vânia tem sempre passado pelo Fado e pela Casa de Linhares. Aí é onde se revela mais feliz e completa, não só cantando, mas sendo uma verdadeira mestre de cerimónias para quem escolhe este espaço. Talvez por isso só em 2022 tenha voltado a editar um disco em nome próprio. O trabalho homónimo apresenta “Fados e canções de amor, apego e vulnerabilidade. É um reflexo de perspetivas entre o sonho e realidade, a afirmação e a passividade! E deixamos a história acontecer”, segundo as palavras da própria fadista que se apresenta também como compositora.

Neste disco, dá-nos a conhecer a sua história, inspirada em muitas noites de fado. Com produção e direcção musical de Bruno Chaveiro, que desafiou a fadista para gravar este disco, e produção e direcção vocal de Raquel Tavares, conta com arranjos também de Bruno Chaveiro (guitarra portuguesa), João Domingos (viola de fado) e José Ganchinho (viola baixo) e a participação de Sertório Calado (percussão), Eduardo Espinho (guitarra eléctrica) e Carlos Lopes (cavaco).

 

Fonte:

https://www.cm-benavente.pt/downloads/assembleia-municipal/deliberacoes/outros/396-saudacao-vania-duarte/file

https://www.reverbnation.com/vaniaduarte?popup_bio=true

Vânia Duarte. Foto de Luís Carvalhal

Vânia Duarte. Foto de Luís Carvalhal

Vânia Duarte. Foto de Luís Carvalhal

Vânia Duarte. Apresentação do disco "Vânia Duarte", CCB, 2022. Foto de José Frade

Vânia Duarte. Apresentação do disco "Vânia Duarte", CCB, 2022. Foto de José Frade

Vânia Duarte. Apresentação do disco "Vânia Duarte", CCB, 2022. Foto de José Frade

Vânia Duarte. Apresentação do disco "Vânia Duarte", CCB, 2022. Foto de José Frade