Ao utilizar este site, concorda com o uso de cookies de acordo com a nossa Política de Cookies.

concordo

Conheça melhor:

Armindo Fernandes

(20 janeiro, 1946)

Nascido em Vagos, Aveiro, em 1946, aos 9 anos Armindo Fernandes descobriu a sua paixão pela guitarra portuguesa.

Aos 18, em 1964, fixou-se em Lisboa, e profissionalizou-se, começando a acompanhar vários fadistas, como Cidália Moreira, Frei Hermano da Câmara, Carlos do Carmo, Tristão da Silva, António Mourão, Fernando Maurício, Francisco Martinho, Fernando Farinha, Alfredo Marceneiro, Maria Valejo, Max e também Amália.

Integrou, também, o Conjunto de Guitarras António Chainho, de quem ainda hoje é admirador e amigo. Com este conjunto, do qual também faziam parte José Maria Nóbrega e Raúl Silva, gravou, na década de 80, o disco “António Chainho – Guitarra Portuguesa”.

Ao longo de vários anos, Armindo Fernandes correu vários palcos de vários países, como Estados Unidos, Canadá, China, Austrália, África do Sul e Índia, sempre acompanhando artistas de renome.

A arte de Armindo está presente em vários discos, sempre como acompanhante, tendo editado somente em 1984 o seu primeiro trabalho a solo, o LP “O Canto das Minhas Mãos”. Este disco, apadrinhado pela conhecida escritora e autora radiofónica Odette de Saint-Maurice, conta com canções bastante conhecidas do grande público, destacando-se, por exemplo, “Coimbra é uma lição” e “Lisboa Antiga”.

Em 1986, regressa à sua terra natal, Vagos, onde abriu vários restaurantes, sempre com Fado ao vivo mas, em 2015, o chamamento da capital foi mais forte e aí voltou a fixar-se, até aos dias de hoje.

A carreira de Armindo Fernandes não finda nos inúmeros discos e concertos pelo mundo fora. Em 2011, participou na banda sonora do filme espanhol “Años Después” e, em 2017, integrou o conjunto de músicos da reposição do musical “Amália”, de Filipe La Feria. Mais recentemente, apareceu num episódio da série espanhola “La Casa de Papel”, ao lado de Cidália Moreira – que acompanhou durante quinze anos -, no tema “Grândola, Vila Morena”, experiência que, segundo o próprio, foi inesquecível.

Ao fim de longos anos, e já com mais de 50 de carreira, Armindo Fernandes acedeu, finalmente, aos pedidos de amigos e fãs e gravou, em 2022, o disco “Armindo Fernandes e Amigos”, o décimo quinto da label Museu do Fado Discos. Este trabalho, uma verdadeira celebração de uma vida ao serviço do Fado, conta com a participação de vários músicos e amigos, como Jaime Santos Jr., Jorge Fernando, Carlos Manuel Proença, Paulo Paz, Miguel Gonçalves, André Teixeira, Ni Ferreirinha e Bruno Costa. Armindo assina também a autoria de sete das dez composições originais.

 

Fonte:

https://www.meloteca.com/portfolio-item/armindo-fernandes/

Informações cedidas pelo artista

Entrevista ao Jornal “O Ponto” de 12 de Janeiro de 2022

Armindo Fernandes. Foto de Luís Carvalhal

Armindo Fernandes. Foto de Luís Carvalhal

Armindo Fernandes. Foto de Luís Carvalhal