Ao utilizar este site, concorda com o uso de cookies de acordo com a nossa Política de Cookies.

concordo

Conheça melhor:

Paulo Parreira

(16 Novembro, 1970)

Paulo Manuel Parreira Costa nasceu em Lisboa no ano de 1970. Filho de um outro famoso guitarrista, António Parreira, cedo começou a familiarizar-se com os timbres que o haveriam de fascinar em definitivo na arte da guitarra portuguesa. Admirador confesso de seu pai, nunca dele recebeu lições, limitando-se a ver e a absorver toda a técnica.

Dotado de enorme talento musical, Paulo Parreira possui também formação musical em piano. Para a aprendizagem deste instrumento passou pela Liga dos Amigos de Queluz, Academia dos Amadores de Música, completando a sua formação no Conservatório Nacional.

A sólida preparação musical e o talento completaram um percurso que passou pelo fado vadio, em colectividades e tertúlias lisboetas, onde se lançou em definitivo.

Paulo Parreira é em 1991 o vencedor do Concurso de Guitarra Portuguesa da Rádio Comercial.

Seguiram-se os convites para acompanhar as melhores vozes do fado, com inúmeras gravações e digressões, fixando-se como acompanhador de importantes nomes do género, tais como; António Pinto Basto, António Zambujo, Argentina Santos, Beatriz da Conceição, Camané, Carlos do Carmo, Duarte, Katia Guerreiro, Maria da Fé, Rodrigo, Pedro Moutinho, entre muitos outros. Neste percurso artístico, Paulo Parreira tem pisado as melhores salas e palcos de todo o mundo. Por ocasião de uma viagem a Macau, o guitarrista teve a oportunidade de tocar com a Orquestra Sinfónica Chinesa.

Em Lisboa, e no decorrer da Expo´98, Paulo Parreira actuou como guitarrista principal no “Palco Fado”.

Em 2001, Paulo Parreira está presente num dos mais importantes fenómenos de renovação musical com novas abordagens ao fado; Trinadus surge como um trio de cordas composto pela guitarra portuguesa de Paulo Parreira, a viola de fado de João Mário Veiga e o violino de Maria Balbi, a que se junta, em fase posterior, Anne Hermant no violoncelo. Juntos lançam o primeiro disco homónimo onde revisitam temas clássicos do género. “Navegantes”, o segundo álbum, acontece em 2003, e conta com as interpretações do músico e cantor brasileiro Zé Renato.

Formado em 2004 por Paulo Parreira na guitarra portuguesa, Luís Pontes na guitarra clássica e Ricardo Cruz no contrabaixo, o projecto musical Trio de Corda propunha um importante contributo na dinâmica interpretativa do género.

Em 2007, Paulo Parreira surgia finalmente em nome próprio, após o convite, por parte da Missão Portuguesa na ONU, para apresentação no Auditório das Nações Unidas em Nova Iorque. Nas suas actuações apresentou composições de sua autoria, de Armandinho, Jaime Santos e Carlos Paredes.

Actualmente, Paulo Parreira continua a leccionar - formando as gerações mais jovens na execução da guitarra portuguesa - e a acompanhar todas as gerações de fadistas, em particular os nomes que diariamente actuam no Restaurante Sr. Vinho em Lisboa.

 

Fonte:

Caldeira Cabral, Pedro (1999), “A Guitarra Portuguesa”, Col. “Um Século de Fado”, Lisboa, Ediclube;

Halpern, Manuel (2004), "O Futuro da Saudade", Lisboa, Dom Quixote;

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Cultura/

http://www.myspace.com/pauloparreira

 

 

 

  • Guitarras de Lisboa Trinadus (Manuel Marques)